Guia de tecidos sustentáveis para quem deseja ter um armário mais verde | pt. 2


Você vai gostar também: 
Guia de tecidos sustentáveis para quem deseja ter um armário mais verde | pt. 1
+ 7 passos para conseguir um armário cápsula
+ Hábitos mudam… Ainda bem!


Prontas para a última parte do guia mais verde do blog? 

Então bora lá!

COURO DE MAÇÃ

O couro de maçã é feito a partir da fibra de celulose, que por sua vez é extraída da casca da fruta descartada pela indústria alimentícia. Embora seja uma ótima alternativa ao couro animal, esse material ainda é de difícil acesso.

#ondevi? No Brasil eu só vi na Zilver. Já no exterior você consegue encontrar mais marcas trabalhando com ele, como Mattea Benedetti, Samara, Happy Genie e Veerah. 

LINHO

A cana do linho requer pouca água e poucos pesticidas durante seu cultivo, crescendo até em solos de baixa qualidade. As fibras extraídas dessa cana dão origem ao linho, um tecido extremamente resistente, que suporta altas temperaturas, muito durável e respirável.

A desvantagem do linho é que ele amassa muito e desbota fácil, ou seja, é pouco prático para o dia-a-dia. 

#ondevi? Linho é facílimo de achar, pois é um tecido presente em quase todas as coleções de verão das marcas brasileiras.

SEDA DA PAZ

A seda convencional já é biodegradável com o tempo, mas a seda da paz possui uma ‘filosofia de cultivo’ mais nobre. Essa última só utiliza o casulo do bicho da seda depois que ele já o abandonou. O resultado é uma seda rústica e de textura belíssima. 

#ondevi? Não foi fácil encontrar, mas achei uma marca em SP que produz encharpes com esse material, o Atelier Mônica de Godoi. Fica aí a minha sugestão para as marcas brasileiras eco-friendly. 

QMILK

O QMilk é uma criação da designer alemã e ex-estudante de microbiologia Anke Domaske. Esse tecido é feito a partir de fibras que são extraídas da caseína, uma proteína presente no leite. (Vale lembrar que o QMilk utiliza o leite coalhado descartado pela indústria de laticínios). 

Esse tecido não tem cheiro, regula a hidratação e a temperatura da pele, é antibacteriano e macio (possui um toque muito parecido com o da seda). Além disso, para produzir um kilo do QMilk são necessários apenas dois litros de água. Em contrapartida, para produzir um kilo de algodão, 20 mil litros de água são utilizados. 

#ondevi? Até então, só a marca Mademoiselle Chi Chi – que pertence à criadora do QMilk – utiliza esse tecido em suas peças. 

E aí, meninxs, gostaram do guia? Não se esqueçam de deixar nos comentários suas dicas de marcas sustentáveis, ok?


Gostou do conteúdo e quer ler mais? Então clique aqui e confira tudo o que já escrevemos até hoje!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *